Saúde e Cuidado

Dor de ouvido (otite) em cães: como diagnosticar e tratar este mal

(Imagem: Shutterstock)

A "Dor de Ouvido", ou Otite externa (OE) é, por definição, a inflamação do conduto auditivo e pode resultar de inúmeras causas. Na maioria dos casos crônicos, mais de uma causa está presente. Quando não tratada, essa doença pode deixar até mesmo o animal surdo, por isso, é importante ficar de olho nas causas, sinais clínicos, como evitar e como tratar essa doença que parece inofensiva, mas pode ser bastante perigosa.

 
 

Como saber se seu cão está com otite

Coceira, irritabilidade quando se toca nas orelhas do animal, orelhas avermelhadas e espessas, sacudir de cabeça e até falta de apetite são sinais clínicos da otite em cães.

(Imagem: Shutterstock)

O sinal clínico mais comum para identificar um animal que está com otite é notar que ele coça muito a orelha, arrastando-a até mesmo contra o chão, quando a coceira se torna insuportável. Ele pode ainda sacudi-la, a fim de “jogar para fora” o que o está incomodando. Isso é sinal de que algo o está incomodando e você deve ficar alerta. 

Alguns animais demonstram atitude agressiva quando você encosta nas suas orelhas e outros deixam de se alimentar devido à dor excessiva. 

Além disso, fazer a limpeza regular das orelhas do cachorro é importante para que se observe se a coloração da mesma está normal. Uma orelha saudável possui pouca cera e tem uma cor rosada, com pele fina, além de não ter odor. Quando o cachorro está com otite, a orelha acumula cera e sujeiras em quantidade maior, fica avermelhada e mais espessa com mau cheiro e secreções amareladas ou marrons.

O que causa a otite em cachorros

Água no ouvido do cachorro durante o banho ou brincadeira, orelhas sujas e ventos em excesso nas orelhas são as causas principais da otite em cães

(Imagem: Shutterstock)

Por ser uma doença que fica “escondida” e que apresenta sintomas que muitas vezes não são tão fáceis de serem notados, a otite deve ser prevenida a todo custo. A melhor forma de fazer isso é conhecer as causas da doença.

Existem numerosas causas de otite externa, sendo que, na maioria dos casos crônicos, mais de uma costuma estar presente. A literatura técnica classifica os fatores que contribuem para o desenvolvimento da doença como predisponentes, primários e perpetuantes (GRIFFIN, 1993):

  • fatores predisponentes: estes fatores, por si só, não causam a otite, mas aumentam o risco de ela ocorrer. A presença de pelos no canal auditivo externo, orelhas pendulares (ocorre em raças como os Bassets), umidade, utilização de substâncias irritantes, ou traumas, são os mais comuns;

  • causa primária: geralmente é o agente iniciante, que diretamente causa a otite. Pode ocorrer isoladamente e induzir à otite externa sem fatores predisponentes ou perpetuantes. As mais comuns são alergias, ácaros (sarnas) e outros distúrbios (corpos estranhos, distúrbios glandulares, doenças autoimunes, doenças virais etc.)

  • fatores perpetuantes: são aqueles que impedem a resolução clínica da doença, como bactérias, leveduras, alterações crônicas e a evolução da inflamação para o ouvido médio (otite média). 

Alguns problemas comuns durante o banho, como deixar entrar água no ouvido do cachorro, parecem ser inofensivos ao animal, mas somente esse pequeno deslize já pode ocasionar a dor de ouvido. Para isso, ao dar banho, obstrua o conduto auditivo com algodão e evite ao máximo jogar água na região. 

Antes de começar o banho, faça a limpeza da orelha do cachorro de maneira correta, evitando o aparecimento da doença. A falta de higiene nessa parte do corpo do pet é também uma das causas da otite em cães, pois a sujeira vai acumulando as bactérias. 

Vento em excesso nas orelhas dos animais também são causas comuns. Se for fazer um passeio de carro, feche sempre a janela (lógico que não precisa ser totalmente) para evitar que o cachorro fique exposto ao vento direto nos ouvidos. 

O clima de muito calor e umidade também ajuda na manifestação da otite, então mantenha sempre seu cachorro em um ambiente limpo e arejado. 
Vale lembrar, mais uma vez, que algumas raças já possuem uma predisposição natural para ter otite, pois possuem orelhas caídas e grandes, impedindo que o ouvido entre em contato com o ambiente e acumulando mais facilmente as sujeiras, que se alojam ali e não conseguem sair naturalmente devido à vedação e umidade.

 

O que andam dizendo no Facebook