Saúde e Cuidado

Toxoplasmose: saiba mais sobre essa doença e os cuidados necessários

(Imagem: Shutterstock)

A toxoplasmose é uma doença de distribuição mundial, ou seja, existem casos relatados em praticamente todos os continentes.

Gatos são hospedeiros do parasita, fazendo parte do seu ciclo natural. Mas a culpa pela ocorrência dessa doença não é dos os gatos, e sim a falta de cuidados com a higiene.

Entenda mais sobre os cuidados a serem tomados para prevenir que essa doença ocorra com você e seu pet. Saiba que mulheres grávidas devem ter atenção redobrada com essa doença, pois pode causar sérios problemas ao feto.

 

A toxoplasmose é uma doença infecciosa, que pode ser adquirida ou transmitida de forma congênita – de mãe para filho, durante a gestação – causada por um protozoário que pode ser encontrado nas fezes de felinos. Os gatos contaminam-se ao ingerirem roedores ou pássaros contaminados ou através da ingestão de carne crua. 

Forma contaminante  ou Oocisto de Toxoplasma gondii visto no microscópio (Imagem: resprodução icb.ufmg.  Acesso em 14.01.2014)

Um gato contaminado elimina, através de suas fezes, os chamados oocistos, que são as formas contaminantes do protozoário, por até duas semanas e de forma contínua.

Assim que o ciclo de reprodução do parasita no intestino do felino cessa, não ocorre mais a eliminação dele, e a grande maioria dos indivíduos adquire uma imunidade natural contra novas infecções.

Gatos domésticos que não têm contato com o meio externo raramente serão infectados e mesmo que cheguem em sua casa com a infecção, deixarão de eliminar os oocistos após um período. Quando se trata de animais de rua, o controle dessa doença é muito difícil. 

A toxoplasmose pode ocorrer como doença em humanos, cães e ainda em espécies de animais de fazenda, como suínos e caprinos. Os sintomas são inespecíficos, podem manifestar-se através de febre e cansaço até problemas de fígado e lesões na retina. São necessários exames específicos de laboratório para o seu diagnóstico.

 

Qual é o papel do gato na transmissão da toxoplasmose?

O protozoário consegue realizar todo o seu ciclo de vida no intestino do gato e eliminar suas formas infectantes através das fezes

(Imagem: Shutterstock)

Fezes com o protozoário podem contaminar o ambiente. Locais com caixa de areia, água ou local com terra, como um jardim, que, por sua vez, contaminam os humanos, bovinos, caprinos e suínos através da ingestão direta dos agentes.

Nunca leve as mãos diretamente à boca após mexer em locais que possam estar contaminados. Lavar as mãos com água e sabão comum é suficiente para eliminar o protozoário.

A doença em gatos devido à toxoplasmose é rara. Quando detectada, normalmente o gato possui outra doença, como a "Aids felina", causada pela contaminação do vírus da FIV, que compromete o sistema imunológico, abrindo uma "janela" para que a  toxoplasmose ocorra de forma oportunista. Nesses casos, os sintomas observados são bem inespecíficos, como a perda de apetite, magreza e alguns tipos de infecções nos olhos.

 

A doença em humanos: o que a toxoplasmose pode causar?

Pessoas podem contaminar-se com o protozoário através da ingestão de alimentos ou água contaminada

(Imagem: Shutterstock)

Uma das formas mais importantes de contágio é a através da ingestão de carne contaminada, crua ou mal passada.  Essa doença não é transmissível diretamente de uma pessoa para outra. 

Os sintomas em humanos podem ser variados: existem casos de pessoas que não demonstram absolutamente nenhum sintoma até aquelas com quadros graves, quando ocorre infecção de órgãos vitais como o coração, fígado, além de dores musculares e severas infecções no cérebro. 

(Imagem: Shutterstock)

A transmissão  da toxoplasmose pode ocorrer diretamente da mãe gestante para o bebê, o que pode causar lesões no feto, levar a má formação, cegueira, aborto e nascimento de bebês natimortos. Essa doença deve ser motivo de grande preocupação para mulheres que pretendam engravidar ou já estejam grávidas.

A toxoplasmose tem elevada incidência no Brasil, com casos relatados em praticamente todos os Estados. Mulheres que têm gato ou lidem com esses animais diretamente devem realizar um exame de sangue específico para detecção de anticorpos contra a doença durante o pré-natal.

De acordo com o resultado, o médico irá avaliar qual a melhor opção de conduta em relação à doença: se a mulher já possuir anticorpos contra a doença, ela já é imune a tal. Caso não exista a presença de anticorpos, é sinal de que o organismo não possui defesas contra a doença e que cuidados em relação à prevenção da doença devem ser redobrados. Caso a paciente esteja doente, é possível um tratamento eficaz à base de antibióticos, que feito de forma precoce pode salvar a mãe e o bebê.

Ou seja, mulheres grávidas não precisam se livrar do gato de estimação. Veja mais sobre o assunto no artigo linkado abaixo:

Você pode conferir no vídeo a seguir, feito pelo Departamento de Medicina Veterinária Preventiva da Universidade Estadual de Londrina/PR, dicas  práticas sobre cuidados que as mulheres grávidas devem ter em relação à toxoplasmose.

 

(Vídeo: YouTube. Acesso em 15.01.2014)

No AgendaPet, você encontra e agenda serviços com os melhores profissionais pet da cidade! Confira seus perfis detalhados e agende um horário pela própria web. Assim, fácil e seguro!

Veja mais dicas de saúde e cuidado com os pets na página do AgendaPet no Facebook e siga o perfil do AgendaPet no Twitter. Siga-nos e receba mais novidades e curiosidades do mundo animal!

 

(Equipe AgendaPet)

 

O que andam dizendo no Facebook